Por juliana.stefanelli

Cleveland (EUA) - Ariel Castro, que se declarou culpado de estuprar, maltratar e sequestrar durante uma década três mulheres em Cleveland, no estado de Ohio (EUA), foi condenado nesta quinta-feira à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional. Castro foi acusado de quase mil crimes, entre eles homicídio qualificado por bater em uma de suas vítimas até provocar um aborto.


"Merece passar a vida na prisão"

Ariel Castro Reprodução Internet

Michelle Knight, uma das mulheres que foi mantida em cativeiro por mais de uma década, disse nesta quinta-feira que seu sequestrador, Ariel Castro, "roubou" 11 anos de sua vida e que ele merece passar o resto de sua vida na prisão.

Michelle afirmou ainda que pode perdoar seu agressor mas "nunca" esquecerá o que ele fez. "Chorei cada noite, os anos se tornaram uma eternidade", contou entre soluços durante a audiência contra Castro. "Ninguém deveria passar pelo que eu passei", acrescentou ao lembrar que quando foi sequestrada, em 2002, tinha um filho de apenas dois anos e que ficou "muito só".

Já Ariel Castro, que se declarou culpado disse na audiência que não é "um monstro" e que está "doente". "Acho que eu também sou uma vítima", afirmou Castro, que pode ser condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional, relatou que sofreu abusos sexuais quando era jovem e citou também de sua dependência à pornografia.

Você pode gostar