Polícia paraguaia destrói 34 hectares de maconha

A droga valia R$ 6 milhões no mercado do Paraguai. Se saísse do país, valor poderia chegar a R$ 28 milhões

Por O Dia

Assunção - Agentes antidrogas paraguaios, com o apoio da polícia brasileira, queimaram hoje 34 hectares de plantas de maconha perto de Ypehú, departamento de Canindeyú, localizado a cerca de 100 quilômetros da fronteira com o Brasil, informou a Secretaria Antidrogas (Senad) do país.

Durante operação, os agentes das Forças Especiais e da Senad encontraram e destruíram cultivos em etapa de germinação, crescimento e colheita, que teriam produzido pelo menos 102 toneladas de maconha, segundo um comunicado da Secretaria Antidrogas.

O valor da maconha no mercado paraguaio teria sido de cerca de R$ 6 milhões e se saísse do país, poderia chegar a mais de R$ 28 milhões, segundo cálculos da Senad. Esta operação faz parte de uma campanha de rastreamento em zonas rurais do país, onde está a maioria das extensas plantações ilegais de droga, que está sendo realizada pela Senad há três dias para detectar e destruir cultivos de maconha.

As operações como esta, entre a Senad e a Polícia Federal do Brasil, têm a intenção de atacar as zonas de produção e ocasionar uma "quebra" aos que investem o dinheiro para o cultivo e colheita da erva. O Brasil é o destino de mais de 80% da droga produzida no Paraguai, segundo a nota da Secretaria Antidroga.

Neste ano, o Governo expropriou cerca de 250 toneladas da erva em distintas operações, mais que em todo o ano anterior, quando se foram apreendidas 128 toneladas no total.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência