Por helio.almeida

Estados Unidos - Um ex-padre de 40 anos foi deportado dos Estados Unidos por abusar sexualmente de um menino de 7 anos enquanto atuava como seminarista de uma igreja de Santa Maria, no Oeste de Chicago. Alejandro Flores, que havia sido condenado pelo crime em 2010, foi extraditado nesta quarta-feira pelo Serviço de Imigração americano.

Por toda a vida%3A O agora ex-padre foi expulso da igreja%2C dos Estados Unidos e está proibido de voltar ao paísDivulgação

Flores se aproximou da criança em 2004, e com ela teve diversos contatos sexuais, que duraram 5 anos. Em junho de 2009, o religioso foi ordenado padre e enviado à igreja da Sagrada Família para atuar como vigário.

Em janeiro de 2010, a família da vítima notificou a polícia, que iniciou a investigação e avisou à diocese local. Flores foi suspenso e desapareceu, tentou suicídio, mas sobreviveu e foi encontrado.

O religioso se declarou culpado por cometer pedofilia e foi condenado a quatro anos de reclusão. Ele foi libertado da prisão em 7 de junho. Seu caso foi entregue ao Serviço de Imigração, que o expulsou do país.

Flores foi enviado a La Paz em um voo comercial e foi acompanhado por dois agentes federais. A diocese afirmou que Flores foi banido de todas as atividades desde sua libertação. O religioso está proibido de voltar aos EUA durante toda sua vida.

Você pode gostar