Por juliana.stefanelli

Damasco (Síria) - O regime do presidente sírio, Bashar al-Assad, concederá uma recompensa de meio milhão de libras sírias (US$ 2,5 mil) aos cidadãos que capturem "terroristas" estrangeiros, informou nesta sexta-feira a agência estatal de notícias síria "Sana". Em um breve comunicado, as autoridades de Damasco disseram, além disso, que darão 200 mil libras (US$ 1,7 mil) aos que deram informações sobre o paradeiro de extremistas estrangeiros ou ajudem na captura.

"Os nomes dos informantes serão mantidos em segredo, por isso que não serão anunciados", ressalta a nota, que acrescenta que as autoridades assegurarão a proteção dessas pessoas. Este anúncio acontece depois que na quarta-feira, um grupo de combatentes islamitas procedentes do Cáucaso anunciaram sua separação do Estado Islâmico do Iraque, uma vertente da rede terrorista Al Qaeda que também luta na Síria, segundo um vídeo divulgado na internet.

Na gravação, que foi divulgada o Observatório Sírio de Direitos Humanos, os chamados "mujahedin do Cáucaso e do Levante" indicam que seguirão combatendo na Síria com independência de outros grupos jihadistas como o Estado Islâmico e a Frente al Nusra, igualmente vinculado à Al Qaeda.

Extremistas islamitas de diferentes países se uniram aos combates contra as forças de Assad, que declarou uma guerra contra o terrorismo na qual inclui a oposição armada. A guerra civil da Síria já deixou mais de 100 mil mortos, assim como dois milhões de refugiados e 4,2 milhões de deslocados internos, segundo dados da ONU.

Você pode gostar