Forças do Quênia mataram dois em operação de resgate em shopping, diz ministro

Cerca de 15 pessoas ainda estão sendo feitas reféns pelos terroristas

Por O Dia

Quênia - O ministro do Interior do Quênia afirmou nesta segunda-feira que dois extremistas islâmicos foram mortos em meio às operações das forças militares para resgatar os 15 reféns que ainda estão um shopping de Nairóbi desde o último sábado. Uma autoridade de alto escalão do Exército disse acreditar que os responsáveis pelo ataque são "de todas as partes do mundo".

Após quatro grandes explosões de dentro do shopping Westgate, o ministro do Interior Joseph Ole Lenku disse que dois militantes morreram nas "atividades da manhã". O ministro acrescentou que alguns reféns foram libertados e poucos permanecem dentro do shopping.

Desde a madrugada de domingo para segunda, helicópteros do Exército e da polícia e um avião sobrevoavam o shopping em Nairóbi, dando a sensação de que o bairro havia se transformado em uma zona de guerra.

Os esforços das forças de segurança no domingo para resgatar os reféns que estão dentro do shopping fracassaram, embora o Exército tenha anunciado que a maior parte dos reféns estava a salvo. Autoridades quenianas afirmaram que preservar as vidas dos reféns era a sua principal prioridade.

Quenianos e estrangeiros estavam entre os mortos confirmados no ataque, incluindo britânicos, canadenses, indianos, um ganês, um sul-africano e uma chinesa. A embaixada do Reino Unido confirmou nesta segunda-feira a morte de quatro britânicos.

Três fortes explosões sacudiram o centro comercial de Nairobi%2C onde radicais islâmicos estão fazendo 15 pessoas refénsEfe

Da vizinha Somália, o porta-voz do Al-Shabab , grupo que reivindicou responsabilidade sobre o ataque, disse em um arquivo de vídeo publicado em um site que os sequestradores receberam ordens para "realizar ações punitivas contra os reféns" se o governo se utilizar da força para tentar resgatá-los.

Os militantes do Al-Shabab reagiram com ódio no domingo com a aproximação de helicópteros e enviaram no Twitter um alerta de que a ação do Exército estava colocando os reféns em risco.

O Exército deu início a uma ofensiva no shopping pouco antes do fim do dia no domingo, com um helicóptero sobrevoando o shopping muito de perto. Quando a crise se aproximava da marca das 48 horas, veio à tona um vídeo feito por alguém que estava dentro da principal loja de departamentos do shopping quando o ataque começou. As imagens mostravam alguns consumidores assustados e confusos correndo e tentando escapar.

Os militantes do Al-Shabab atacaram o shopping no sábado pelos dois lados, lançando granadas e disparando contra os civis. A Cruz Vermelha do Quênia emitiu um comunicado, citando a polícia, de que 49 pessoas foram registradas como desaparecidas. O número de mortos subiu para 68 depois que nove corpos foram resgatados no domingo. O ataque deixou mais de 175 feridos, incluindo crianças.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência