Papa se reúne nesta terça-feira com 'G8 de cardeais' para iniciar reforma

Francisco lembrou que a criação do grupo surgiu a partir das sugestões nas congregações dos cardeais no conclave

Por O Dia

Itália - O papa Francisco dará início nesta terça-feira a primeira rodada de reuniões com o chamado "G8 de cardeais", grupo de oito religiosos que formam o Conselho nomeado para estudar o esperado projeto de reforma da Cúria, o Governo da Igreja Católica.

Com um novo documento, o papa oficializou nesta segunda-feira a criação desta nova instituição da Igreja considerada como "um novo instrumento de consulta", com a qual o próprio Francisco poderá contar durante seu pontificado. O grupo de cardeais, no entanto, já havia sido anunciado no último dia 13 de abril com a intenção de ajudar o papa no Governo da Igreja Universal e a estudar um projeto de revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus sobre a Cúria Romana.

Em seu documento, Francisco lembrou que a criação deste grupo de religiosos surgiu a partir das sugestões e propostas realizadas nas congregações dos cardeais prévias ao conclave, quando muitos pediram uma urgente reforma do Governo da Igreja e, inclusive, de um modo mais transparente e colegial. O escritório de imprensa do Vaticano declarou nesta segunda-feira que este "G8 de cardeais" foi criado para "oferecer conselho ao papa", ressaltando que o mesmo "não tomará nenhuma decisão própria". Além disso, os porta-vozes da Santa Sé destacaram que, além da reforma da Cúria, como estabelece a Constituição Apostólica Pastor Bonus, este grupo também "ajudará" ao papa Francisco em algumas questões do "Governo da Igreja".

De acordo com o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, esta primeira rodada de reuniões será realizada em dois turnos entre os dias 1, 2 e 3 de outubro, enquanto o papa argentino estará sempre presente.

No voo de volta de sua viagem ao Rio de Janeiro, o papa já havia adiantado que o "G8" também terá que enfrentar "o tema dos divorciados que voltaram a se casar no marco do pastoral matrimonial". Mas, para que se chegue às mudanças previstas, o Vaticano assegurou que terá que esperar algum tempo. Segundo o escritório de imprensa do Vaticano, após as reuniões desta semana, outras serão celebradas, ainda sem data, enquanto os cardeais terão que fazer uma "discrição" dos conteúdos que serão debatidos.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência