Ativistas ficam seminuas no Congresso espanhol pela legalização do aborto

Seguidoras do movimento Femen foram acusadas de crime contra as instituições do Estado

Por O Dia

Madri - Três ativistas do movimento feminista Femen entraram nesta quarta-feira no plenário do Congresso espanhol seminuas e gritando "o aborto é sagrado!", enquanto o ministro da Justiça, Alberto Ruiz-Gallardón, discursava.

As mulheres, com o peito nu, exibiam no tronco o mesmo lema a favor da interrupção voluntária da gravidez. As três ativistas foram detidas, entre elas a líder do Femen na Espanha, e uma delas foi liberada poucas horas depois, após prestar depoimento. As outras duas foram postas à disposição do Juizado de Madri, segundo informaram fontes da polícia.

Ativistas invadiram Congresso espanhol Efe


A polícia acusa as três de crime contra as instituições do Estado, por perturbar a ordem das sessões do Congresso, e podem ser condenadas a penas de seis meses a um ano de prisão. Ruiz-Gallardón, que estava no plenário, considerou o ocorrido uma "falta de respeito à soberania popular".

O governo espanhol deve aprovar em breve uma reforma da lei do aborto que suprimirá a chamada "lei de prazos", aprovada em 2010 pelos socialistas. A reforma foi criticada por algumas associações feministas, partidos de esquerda e outros grupos sociais.

As ativistas são seguidoras do movimento Femen, uma organização feminista de origem ucraniana cujas militantes recorrem a mostrar seus seios em público como forma de protesto contra o machismo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência