Prêmio Nobel para a ‘partícula de Deus’

Em 2012, a existência do bóson foi confirmada no Grande Colisor de Hádrons, o maior acelerador de partículas do mundo

Por O Dia

Suécia - O prêmio Nobel de Física de 2013, anunciado nesta terça-feira na Suécia, foi concedido ao britânico Peter Higgs, 84 anos, um dos físicos mais famosos do mundo, e ao belga François Englert, 81. Em trabalhos separados, eles elaboraram teoria que explica como as partículas adquirem massa, num processo que inclui a partícula que ficou conhecida como ‘bóson de Higgs’. O prêmio é de 8 milhões de coroas suecas (R$ 2,7 milhões).

Englert (E) e Higgs dividiram o Prêmio Nobel de Física de 2013Efe

Em 2012, a existência do bóson foi confirmada no Grande Colisor de Hádrons, o maior acelerador de partículas do mundo. O bóson era a única das 32 partículas fundamentais do universo (prótons, nêutrons e elétrons) previstas pelo Modelo Padrão da Física de 1964 que ainda não fora detectada. Por ser a “peça que faltava” e por dotar de massa outras partículas, ganhou o apelido de ‘partícula de Deus’.

“Ainda há questões importantes que precisam ser respondidas na física de partículas. Estou muito feliz”, disse Englert, por telefone. Higgs preferiu não dar entrevista, mas afirmou, em nota: “Espero que o reconhecimento da ciência fundamental ajude a aumentar a consciência sobre a importância da pesquisa imaginativa”.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência