Por julia.amin

Genebra - Mais de 800 mil pessoas no mundo são vítimas de tráfico todos os anos, exploradas por grupos organizados que lucram bilhões de dólares com a atividade, denunciou nesta sexta-feira a Organização Internacional das Migrações (OIM ).

A agência das Nações Unidas (ONU) informou ainda que os países tradicionalmente considerados lugares de destino, como o Reino Unido, também são, atualmente, países de origem das vítimas de tráfico humano. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira por ocasião do Dia Internacional contra o Tráfico de Seres Humanos.

Segundo a OIM, organização que luta contra o tráfico humano desde 1994, o número de vítimas de exploração sexual, laboral e de mendigagem forçada tem aumentado. Em 2012, a organização, que promoveu mais de 900 projetos em cerca de 100 países, prestou assistência direta a 6.499 vítimas de 89 nacionalidades em todo o mundo. A OIM também ajudou mais de 20 mil imigrantes vítimas de tráfico de seres humanos e de outras formas de exploração.

Para promover a contratação legal e ética de trabalhadores e impulsionar a redução da exploração de imigrantes e do trabalho forçado, a OIM patrocinou a criação de um consórcio internacional, o Sistema Internacional de Recrutamento Ético, que pretende estabelecer normas para seleção e contratação.

A agência das Nações Unidas lançou a campanha “Consumo Responsável”, que pretende conscientizar os consumidores sobre a origem dos produtos que compram.

Você pode gostar