Por paulo.gomes

Paris - Os quatro franceses sequestrados em 2010 no Níger, pela Al Qaeda, no Magrebe Islâmico (AQMI) e libertados na terça-feira chegaram em um avião oficial ao aeroporto militar de Villacoublay, nos arredores de Paris, onde foram recebidos pelo presidente François Hollande. O avião no qual viajavam Thierry Dol, Daniel Larribe, Pierre Legrand e Marc Féret, capturados em 16 de setembro de 2010 em um complexo mineiro do grupo francês Areva em Arlit, no norte de Níger, aterrissou na manhã desta quarta-feira.

Os franceses foram recepcionados pelo presidente da França%2C François Hollande (centro)Efe

Junto a eles se encontravam, além de seus parentes mais próximos, os ministros das Relações Exteriores, Laurent Fabius, e de Defesa, Jean-Yves Le Drian, que viajaram ontem a Níger para cuidar do retorno dos cidadãos. Sua libertação foi anunciada ontem por Hollande durante uma viagem oficial a Bratislava, e na mesma, segundo disseram as autoridades francesas, o presidente nigeriano, Mahamadou Issoufou, teve um papel "essencial".

Os quatro ficaram franceses no norte do Mali, divididos em dois grupos quase até o final do cativeiro e foram deslocados em várias ocasiões, e durante a ofensiva militar lançada em janeiro para acabar com os grupos jihadistas que ocupavam essa região, estiveram a ponto de ser libertados, segundo Le Drian, "três ou quatro" vezes. A França negou o pagamento de um resgate, mas os meios de comunicação franceses destacam tanto que o grupo Areva teria comunicado explicitamente ao Governo francês sua intenção de pagar uma quantia milionária por sua libertação, como que o Executivo teria recorrido a secretos fundos dos serviços de inteligência.

Você pode gostar