Por joyce.caetano

Edward Snowden, ex-prestador de serviços de uma agência de inteligência dos Estados Unidos que está asilado na Rússia, disse à Alemanha que conta com o apoio internacional para deter a "perseguição" feita por Washington após ele ter revelado a escala da espionagem mundial norte-americana através de telefonemas e da Internet.

Berlim - Em carta aberta à Alemanha, que está no centro de uma disputa com os EUA devido à espionagem norte-americana a aliados, Snowden disse que suas revelações ajudaram a "abordar os abusos antes ocultos da confiança pública".

Snowden escreveu que "falar a verdade não é um crime", se queixou de que o governo norte-americano continua a "tratar dissensão como deserção" e mencionou uma "campanha contínua de perseguição" que disse tê-lo forçado a procurar asilo na Rússia.

"Estou confiante que com o apoio da comunidade internacional, o governo dos Estados Unidos vai abandonar esse comportamento prejudicial", diz a carta enviada à chanceler da Alemanha, Angela Merkel, ao Parlamento alemão e a promotores federais alemães.

Snowden entregou a carta ao parlamentar alemão Hans-Christian Stroebele, que a mostrou à mídia em Berlim nesta sexta-feira.

Stroebele, de 74 anos, político do partido de oposição Verde no Parlamento, entregou a carta a repórteres logo depois de desembarcar de um avião procedente de Moscou, onde se encontrou na quinta-feira como Snowden em um local secreto. A carta não tem um destinatário específico, começando simplesmente com "a quem interessar possa".

O vazamento de informações sobre alvos e métodos de espionagem da Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla em inglês), desde o rastreamento de emails ao grampeamento de telefones de líderes mundiais, incluindo o de Merkel, enfureceu os aliados dos EUA e deixou o país na defensiva.

Autoridades dos EUA querem a extradição de Snowden para responder por acusações de espionagem, por ter revelado ilegalmente documentos secretos do governo. O chefe do serviço secreto britânico MI5 diz que o material que Snowden entregou a jornalistas foi um presente aos terroristas.

Você pode gostar