Colômbia e Farc fecham acordo sobre participação política da guerrilha

Ideia é que se estabeleça um marco para que as Farc abandonem as armas e se tornem um movimento político

Por O Dia

Havana - O governo colombiano e os rebeldes das Farc chegaram nesta quarta-feira a um acordo que garantirá a participação do grupo rebelde na política, um dos assuntos-chave nas negociações de paz que buscam encerrar meio século de conflito armado.

A ideia é que o acordo parcial para a participação política da guerrilha, que foi debatido durante cinco meses, estabeleça um marco para que as Farc abandonem as armas e se tornem um movimento político.

"Chegamos a um acordo fundamental sobre o segundo ponto da Agenda contida no Acordo Geral para o término do conflito e a construção de uma paz estável e duradoura denominado Participação Política", informou o comunicado conjunto divulgado nesta quarta-feira.

Depois de um ano de negociações, as partes ainda têm pendente a discussão de outros três pontos de uma agenda de cinco no total, após já terem alcançado um acordo sobre o tema agrário.

"Temos conseguido consensos", completou o comunicado, sobre temas como os direitos e garantias para o exercício da oposição política em geral.

O acordo sobre a futura participação da guerrilha na política lhe dá um gás no processo de paz e pode contribuir para melhorar a popularidade do presidente Juan Manuel Santos, que no fim deste mês deverá anunciar se vai se candidatar à reeleição em 2014.

Os pontos pendentes da agenda incluem o fim do conflito, a luta contra o narcotráfico e a compensação às vítimas.

A premissa das conversações é que nada está definitivamente acordado até que haja um pacto no último ponto.

O diálogo constitui a primeira tentativa em uma década de pôr fim ao violento conflito que deixou 200.000 mortos e milhares de desabrigados na Colômbia.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência