Ilha de destroços de tsunami de 2011 se aproxima da costa oeste dos EUA

Cerca de 165 espécies de seres vivos que viajam juntos aos destroços são ameaça para o equilíbrio ambiental do país

Por O Dia

Japão - Dois anos e meio depois do terremoto seguido de tsunami e crise nuclear no Japão, uma ilha artificial de destroços, formada como consequência da catástrofe, se aproxima do litoral dos Estados Unidos. A formação, de 700 mil km² (praticamente o tamanho da França) já foi apelidada de "51º Estado americano".

Ilha artificial de destroços do tsunami de 2011 tem 1 milhão de toneladasDivulgação

Estima-se que os ondas gigantes, que varreram uma área de 550 km², produziram um total de 5 milhões de toneladas de destroços de casas, barcos, móveis, madeira e plástico. Pesquisadores acreditam que cerca de 30% desse material (ou 1,5 milhão de toneladas) vaga agora pelo oceano numa compacta massa de detritos.

No momento, a ilha artificial se encontra a 2.700 quilômetros da costa Oeste dos Estados Unidos. O fenômeno, porém, não chega a preocupar a NOOA (National Oceanic and Atmospheric Administration, a agência climática norte-americana). Para o órgão, a tendência é que os destroços cheguem lentamente à costa durante o ano que vem e 2015.

Mapa mostra o caminho dos destroços desde o Japão até os EUA pelo Oceano PacíficoDivulgação

Um estudo da Universidade do Oregon, entretanto, aponta uma ameaça mais visível ao país: junto com os detritos viajam também pelo menos 165 espécies de seres vivos que não existem nos Estados Unidos, a maior parte deles organismos de tamanho microscópico. Eles representariam, hoje, uma ameaça concreta ao equilíbrio ambiental do país.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência