Haiyan deixa pelo menos 12 mortos e 12 desaparecidos no sul da China

Mais de mil estudantes e professores de uma escola secundária permanecem ilhados, 25 mil pessoas precisaram ser deslocadas e 249 casas foram derrubadas

Por O Dia

China - Pelo menos 12 pessoas morreram e outras 12 continuam desaparecidas após a passagem pela China do tufão Haiyan. Segundo confirma nesta terça-feira a imprensa estatal, as regiões de Guangxi, Cantão e Hunan sofrem fortes tempestades desde a noite deste domingo.

Mesmo enfraquecido, o supertufão se desloca a uma velocidade aproximada de 15 km/h, com rajadas de até 100 km/h.

Mais de mil estudantes e professores de uma escola secundária permanecem ilhados desde a manhã de hoje no colégio por causa das inundações, confirmou nesta terça a agência Xinhua. Os ilhados por enquanto estão nos andares superiores da escola esperando as equipes de resgate.

Na região autônoma de Guangxi, as autoridades confirmaram a morte de uma pessoa por causa do desmoronamento de casas e de estilhaços de vidros, além de cerca de 1 milhão de desabrigados.

Além disso, 25 mil pessoas precisaram ser deslocadas e 249 casas foram derrubadas. Nessa região, duas pessoas morreram e quatro pessoas permanecem desaparecidas depois de caírem em um rio na segunda-feira à noite arrastadas pelos fortes ventos do tufão.

Mesmo enfraquecido, o supertufão se desloca a uma velocidade aproximada de 15 km/h, com rajadas de até 100 km/hEfe

Em Hunan, três pessoas morreram e três permanecem desaparecidas depois que um navio virou em uma reserva natural nesta manhã. Na embarcação estavam dez pessoas, e as equipes deslocados só puderam resgatar quatro.

Na ilha de Hainan, onde o tufão passou neste fim de semana, a tempestade deixou quarto mortos pelo desmoronamento de casas - cerca de 650 - e quase meio milhão de desabrigados, entre eles 39 mil retirados.

Até 1.200 povoados permanecem inundados na zona sul de Hainan, que tem 180 mil desabrigados. Nessa região, cerca de 3.500 moradores ficaram completamente isolados, depois que as enchentes fecharam as estradas isolando 20 povoado.

O governo local calcula as perdas econômicas só nessa região em cerca de 140 milhões de iuanes (mais de R$ 53 milhões).

As autoridades também confirmaram hoje a morte de dois dos sete tripulantes de um navio que ficou à deriva no Mar da China Meridional no sábado - quando os fortes ventos romperam suas cordas e o arrastaram para fora do porto de Sanya, em Hainan. O restante da tripulação, cinco pessoas, continua desaparecido.

Supertufão nas Filipinas

Haiyan, o tufão mais violento registrado no mundo este ano, deixou um cenário desolador nas Filipinas, onde estima-se que o número de mortos pode superar os 10 mil e as equipes de resgate trabalham a contra o relógio para ajudar as vítimas afetadas nas regiões centrais do país e buscar sobreviventes.

A ONU afirmou nesta terça que "espera o pior", enquanto a ajuda humanitária vai chegando ao arquipélago de vários pontos do mundo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência