Acúmulo de tarefas no fim do ano gera ansiedade e estresse

Mulheres são as mais afetadas. Saiba como relaxar enquanto espera por 2014

Por O Dia

Rio - Como sempre, o ano passou mais rápido do que você esperava e, de repente, dezembro chegou. O que isso significa? Listas (quase infinitas) de afazeres, sequências de confraternizações, compras, tempo reduzido para resolver tudo e... a ansiedade típica dessa época. Mas não pense que o sentimento é um ônus inevitável do fim de ano. Especialistas ensinam a lidar bem com esse cenário e o melhor: sem deixar tarefas para 2014.

Muitos são os fatores que aumentam a ansiedade e todos são mais frequentes no final do ano. Simone Freitas, psicóloga da Santa Casa, lembra que, no âmbito profissional, todas as pendências precisam ser resolvidas, sem a possibilidade de adiamentos. Além disso, compras, festas e o aumento do trânsito deixam as pessoas mais sobrecarregadas e nervosas. A especialista lembra ainda que, apesar de o Natal ser uma celebração familiar, o contato com parentes pode não ser agradável, quando há conflitos na família.

“Nessa época há uma contaminação geral de ansiedade, porque todas as pessoas estão correndo para resolver as coisas e ficam mais nervosas”, disse.

A professora Vanessa%2C mãe de Vitória%2C 8 meses%2C Guilherme%2C 2 anos%2C e Bernardo%2C 6%2C tem pilhas de provas para corrigirFabio Gonçalves / Agência O Dia

Tarefa não cumprida frustra

Raquel Staerke, psicóloga e professora do Centro Universitário Celso Lisboa conta que aumenta a solicitação por sessões de terapia no fim de ano. “As pessoas tendem a pensar que esse corre-corre é algo normal e acabam não percebendo como estressa e como pode ser danoso”, relata.

Além do aumento das tarefas, as resoluções de fim de ano também podem trazer prejuízos psicológicos, sobretudo aquelas que não foram cumpridas. Para Simone, é comum as pessoas ficarem frustradas e sem esperança diante de sonhos não realizados. “Fim do ano não representa fim do mundo. É importante ter um olhar otimista diante do que não foi feito procurar ajuda para resolver”, disse. 

Segundo ela, as mulheres são as principais vítimas do estresse. Isso porque a carga de trabalho é maior e o organismo, mais vulnerável a esse sentimento. Simone lembra que as taxas de depressão e ansiedade são maiores entre elas, devido, inclusive, a questões hormonais. “A mulher tem jornada quádrupla, muitas vezes. Ela precisa cuidar da casa, do emprego, ser inteligente e cuidar do corpo também”, enumera.

Professora de Português em duas escolas, mãe de dois meninos, de 6 e 2 anos, e de uma menina de oito meses, Vanessa de Moraes Hortala, 33, fica mais sobrecarregada nessa época do ano. A solução para dar conta de tudo, diz ela, é reduzir as horas de sono — são, em média, 4 horas por noite. Para não comprometer o tempo dedicado às crianças, ela espera todos dormirem para, então, corrigir as provas, tarefa que aumenta no término do ano letivo. “Fico muito cansada no fim de ano. São cerca de 400 provas para corrigir. Costumo fazer uma lista com todas as tarefas para me organizar”, conta, acrescentando que, quando a tensão aumenta, há reflexos físicos, como gastrite.

DICAS

1 - Inspire pelo nariz em 3 segundos, prenda a respiração por mais 3 e solte o ar pela boca em 6. Fazer várias vezes ao dia, ou ao acordar e à noite.

2 - Exercícios físicos liberam a serotonina, substância cerebral que dá sensação de prazer. Yoga e pilates são recomendados, pois também trabalham a respiração

3 - Alimentação saudável e sono regular ajudam. Chás de erva cidreira, doce e camomila são indicados

4 - Bebida acoólica só piora ansiedade e estresse. A sensação de bem-estar é apenas momentânea.

5 - Faça uma lista com atividades a fazer ao longo do dia: ajuda a organizar melhor o tempo e evitar a ansiedade

6 - Evite ler e-mails e acessar o Facebook após as 20h. Manter-se conectado gera mais ansiedade.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência