Por thiago.antunes

Síria - Pelo menos 42 pessoas, incluindo crianças, morreram ontem quando helicópteros do Exército sírio soltaram bombas improvisadas em barris na província de Alepo. A denúncia foi feita por um grupo de monitoramento da violência no país. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, organização sediada em Londres, disse que os ataques aéreos atingiram diversos distritos de Alepo, o pior deles em uma estrada perto de um mercado e no bairro de Hanano, no leste da cidade. Seis crianças estariam entre os mortos, segundo o observatório.

O centro de imprensa de Alepo (de oposição ao governo) denunciou “um massacre” na estrada, onde os barris de explosivos atingiram vários veículos matando todos os passageiros. “Os hospitais estão lotados de feridos”, relatou o centro de imprensa, sem saber indicar número exato de vítimas dos bombardeios.

Barris de explosivos foram lançados ontem em uma estrada%2C perto de um mercado e no bairro de Hanano%2C ao leste da cidade de AlepoReuters

Terror

Em um vídeo divulgado pela organização, é possível ver grande poça de sangue em um carro completamente destruído. Outra gravação mostra vários veículos carbonizados, caminhões em chamas e um prédio destruído sob os olhares aterrorizados de pessoas reunidas. A Comissão Geral da Revolução Síria (CGRS) denunciou a campanha de bombardeios feita pelo regime há oito dias em Alepo, evocando “uma situação de terror e um êxodo da população para terras agrícolas, apesar do frio glacial”.

A Human Rights Watch informou, em relatório no fim de semana, que os ataques com as chamadas bombas de barril deixaram mais de 200 mortos civis em Alepo no último mês. A organização não-governamental descreveu os atentados como ilegais e disse que atingiram áreas residenciais e comerciais. As bombas de barril são feitas em cilindros ou barris de petróleo, cheios de explosivos, e são frequentemente atiradas de helicópteros. Elas, que geralmente atingem alvos precisos, causam baixas generalizadas e danos significativos.

Meio milhão de feridos

Também em outro atentado, desta vez em Homs, no centro da Síria, oito pessoas, incluindo seis crianças, morreram na explosão de um carro-bomba. “Seis estudantes e dois funcionários foram mortos por terroristas na explosão de um carro-bomba perto da escola primária da localidade de Um al-Amad, na província de Homs”, informou uma agência de notícias na Síria.

De acordo com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, pelo menos 500 mil pessoas tiveram ferimentos na guerra que arrasa o país desde 2011.

“Ao menos meio milhão de pessoas foram feridas no país, enquanto milhões de outros ainda estão deslocadas e dezenas de milhares privadas de liberdade”, informou Magne Barth, chefe da delegação do Comitê na Síria. “Reservas de alimentos e de outros bens de primeira necessidade estão se esgotando perigosamente”, acrescentou.

Você pode gostar