Por tamyres.matos

Rússia - A segunda integrante do grupo russo Pussy Riot que ainda estava presa, Nadezhda Tolokonnikova, foi libertada nesta segunda-feira. “Nadya está livre”, escreveu seu marido no Twitter, enquanto sua esposa caminhava para fora da prisão na cidade siberiana de Krasnoyarsk depois de ser anistiada pelo Kremlin, assim como sua companheira Maria Alyokhina, que havia sido libertada pouco antes.

Nadezhda Tolokonnikova%2C do Pussy%2C foi beneficiada pela anistia geralReuters

Tolokonnikova e Maria Alyokhina foram presas e acusadas de vandalismo após cantarem uma “oração punk” contra Putin na catedral de Moscou em fevereiro deste ano. Elas cumpriam pena de dois anos de prisão. Tolokonnikova gritou “Rússia sem Putin” depois de ser libertada. A companheira Alyokhina afirmou em entrevista que a anistia de Putin é “um truque de relações públicas”.

A anistia, aprovada pelo Parlamento russo neste mês, também deve suspender as acusações de vandalismo dos 30 ativistas do Greenpeace, entre eles a brasileira Ana Paula Maciel.

Você pode gostar