Por thiago.antunes

Rio - Eliminar a celulite em 28 dias, sem gastos excessivos e tratamentos dolorosos. É o que promete um personal trainer americano, criador de uma série de exercícios físicos. Sucesso na internet, os vídeos já chegaram ao Brasil, mas especialistas alertam que ginástica pode não ser suficiente para acabar com todos os ‘furinhos’.

A promessa faz parte do programa ‘Symulast’, criado pelo especialista em fisiologia do exercício Joey Atlas. Contrário a técnicas como remédios, injeções e até a aparelhos de ginástica, Atlas ensina exercícios ‘suaves’ de fortalecimento muscular que podem ser feitos em casa. Ele explica que quando os músculos não são utilizados, ficam flácidos e a pele não tem onde se apoiar. “Então, a pele fica com as marcas que chamamos de celulite. A solução é deixar os músculos mais fortes”, disse.

Segundo o dermatologista Murilo Drummond, o mal é causado por problemas nas fibras da própria pele, que favorecem o acúmulo de gordura. Ele alerta que não existe cura milagrosa para a celulite, e que o tratamento para atenuar o problema deve incluir, além de exercícios específicos, dieta equilibrada.

Walmir Coutinho, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, lembra que não existem alimentos específicos que causem a celulite, mas que, indiretamente, todos que favorecem o ganho de peso podem provocar o mal.

Clique no infográfico para ver maiorArte%3A O Dia

“A tendência para ter celulite é genética, porém maus hábitos alimentares podem agravá-la”, declara. Para quem luta contra o problema, ele recomenda o consumo de alimentos ricos em fibras, como frutas com cascas, pão integral, feijão, verduras e azeite de oliva.

As estrias também incomodam

Cerca de dez mil pessoas já compraram o pacote de vídeos com os exercícios. Dessas, três mil são brasileiras. As aulas, traduzidas em cinco idiomas, custam R$99,90 (www.thecelluliteanswer.com).

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Dermatologia revela que a celulite é uma queixa para 62,4% das brasileiras (a estria é a campeã, com 62,5%). Devido a questões hormonais, o problema afeta mais as mulheres e se manifesta em quatro graus. O ‘pior’ é quando a pele fica com aspecto de ‘casca de laranja’.

Você pode gostar