Por tamyres.matos

Rio - Nas férias, a criançada se entope de guloseimas, vira a noite em brincadeiras e esquece da vida, certo? Errado! Dispensar totalmente a rotina não é a melhor opção para os pequenos. O recesso escolar é sinônimo de diversão para elas, mas os pais devem ter atenção para evitar cansaço, infecções e até aumento de peso dos filhos no período. Especialistas destacam que não é preciso manter rigidez extrema, e que alguns cuidados podem garantir o bem-estar na hora da volta às aulas.

O desafio é maior para jovens que estudam de manhã. Sem compromissos, como resistir à possibilidade de dormir até mais tarde? Para a psicóloga Mayra Ribeiro, do Hospital Adventista Silvestre, não há por quê contrariar o descanso a mais: o que é preciso evitar são as noites em claro. “O ideal é que não passem as madrugadas no computador”, disse. Ela ressalta que além de avançar sobre o horário de dormir, trata-se de uma atividade que demanda muita concentração, podendo prejudicar o sono.

Tudo bem liberar o sorvete de vez em quando, mas as frutas devem sempre fazer parte do cardápio iStock

OITO HORAS DE SONO

A recomendação de dormir oito horas por noite deve continuar sendo seguida à risca. Médicos explicam que o sono é essencial para o desenvolvimento, combatendo infecções, processando informações no cérebro e armazenando memórias. A privação de sono pode resultar em problemas como falta de energia durante o dia, irritabilidade, dificuldade de concentração e, junto com uma alimentação irregular, menos imunidade do organismo.

Havendo mudanças no horário de acordar, a dica é passar por um ‘treinamento’ nas últimas duas semanas das férias, retomando aos poucos os horários normais. Isso evita que a rotina com poucas regras resulte em atrasos nos primeiros dias de aula. “É preciso retomar os hábitos aos poucos, acordando mais cedo e respeitando os horários das refeições”, disse Mayra.

Mesmo que a criança esteja levantando da cama mais tarde que o normal durante as férias, o café da manhã não deve ser dispensado. “Não se pode almoçar direto só porque já é quase meio dia. É preciso comer algo antes, porque a demanda e o gasto energético são outros”, esclareceu a nutricionista Gisela Peres, da Santa Casa, salientando que é preciso ‘despertar’ o organismo: “Se a criança não tomar o café, acaba almoçando muito mais do que deveria.”

Galerinha também precisa ‘se mexer’ durante o recesso

O sedentarismo das crianças também deve ser evitado no recesso escolar. Sem a obrigação de sair de casa diariamente, muitos estudantes resumem as férias a atividades no computador e ao videogame.

“Às vezes os filhos estão de férias, mas os pais continuam trabalhando. Então acabam não saindo muito. Mas é preciso estimular a faze

NA MESA

As crianças devem fazer cinco refeições para suprir todas as necessidades, mantendo a regularidade de intervalos. Longos jejuns sobrecarregam o organismo, fazendo com que a pessoa coma muito na ocasião seguinte. A composição das refeições nas férias pode ser menos rígida. Basta ser saudável. É possível até substituir jantares por lanches, desde que tenham o mesmo valor nutricional.

CAFÉ DA MANHÃ

Não precisa ser tão reforçado, mas deve ser saudável para garantir energia ao longo do dia. Recomenda-se frutas e cereais, além suco natural ou iogurte.

ALMOÇO

Deve ser mantido como no restante do ano, com feijão, cereal (arroz), carnes e verduras. De sobremesa, frutas são uma boa opção.

JANTAR

Pode ser substituído por lanche com valor nutricional semelhante.

LANCHES

Recomenda-se sanduíches com carne ou frios. Pastas de atum ou legumes também podem ser utilizadas. Alimentos como cachorro-quente, pipoca e pizza devem ser restringidos aos fins de semana.

Você pode gostar