Por fernanda.magalhaes

Moscou (Rússia) - Dois dos principais aeroportos da Rússia anunciaram nesta quarta-feira a proibição do transporte de líquidos nas cabines doas aviões, em mais uma estrita medida de segurança visando os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, que acontecerão no mês que vem, após dois atentados suicidas que estremeceram o país no fim de 2013. 

Segundo o portal "lenta.ru", a proibição foi imposta nos aeroportos de Vnukovo e Sheremetyevo, ambos em Moscou, sem que fosse esclarecido se medidas similares serão adotadas em outros
aeroportos. 

A partir de agora, nos dois locais fica proibido levar a bordo do avião qualquer tipo de líquidos, como bebidas, xampus, loções, cremes, alimentos infantis e até remédios, exceto quando apresentado um certificado que comprove a necessidade de ingeri-los durante o voo. 

Entretanto, os serviços de imprensa dos aeroportos de Pulkovo, em São Petersburgo, de Domodedovo, também em Moscou, e do aeroporto do balneário de Sochi, que sediará os Jogos, negaram ter recebido até o momento tais instruções por parte das autoridades. 

Por enquanto, o esporte está em um segundo plano, e a segurança se transformou na prioridade para o país anfitrião após a morte de 34 pessoas nos dois atentados cometidos em um prazo de 24 horas em 29 e 30 de dezembro na cidade de Volgogrado. 

Anéis olímpicos no aeroporto de Sochi onde serão realizados os Jogos Olímpicos de InvernoReprodução Internet

Embora ainda faltem quatro semanas, o Serviço Federal de Segurança (FSB, antigo KGB) anunciou que fecharia o acesso por terra e mar ao município de Sochi, no qual poderão entrar apenas os veículos e embarcações com registro local ou credenciamento olímpico. 

Além disso, entraram em serviço nesta terça todas as unidades (23 mil efetivos) do Ministério para Situações de Emergência que se encarregarão de garantir a segurança de desportistas e torcedores entre os dias 7 e 21 de fevereiro. 

A isso, se somam 42 mil agentes da Polícia e 10 mil homens do Ministério do Interior, os sistemas de mísseis antiaéreos Pantsir, que vigiarão o espaço aéreo, e os navios da Marinha, que eliminarão qualquer ameaça que provenha do Mar Negro.


Você pode gostar