Egito mobiliza mais de 160 mil militares para garantir segurança de eleitores

População vota na próxima semana

Por O Dia

Cairo (Egito) - O exército do Egito mobilizou mais de 160 mil oficiais e soldados para garantir a segurança do referendo constitucional que será realizado na terça-feira e na quarta-feira da próxima semana, informou a agência estatal de notícias "Mena".

Os militares serão distribuídos por todas as províncias para que seja possível combater qualquer tipo de ameaça ou lidar com emergências durante o período eleitoral, para o qual 52.742.139 egípcios foram convocados.

O Ministério do Interior do Egito e as Forças Armadas estão encarregados dos preparativos, em coordenação com a Comissão Eleitoral e os demais organismos especializados.

Protestos no subúrbio do Cairo nesta sexta-feira contra o referendo constitucional nos próximos dias 14 e 15 de janeiro.Efe

As Forças Armadas egípcias já participaram do monitoramento do referendo realizado em dezembro de 2012, quando foi aprovado um texto elaborado por uma maioria islâmica. Na ocasião 120 mil militares trabalharam para garantir a segurança durante a votação.

A situação é tensa no Egito, onde os muçulmanos mantêm a pressão nas ruas em apoio ao presidente deposto Mohammed Mursi, enquanto as autoridades acusam esses manifestantes de pertencerem à Irmandade Muçulmana, que é considerada um "grupo terrorista" pelo atual governo militar.

Nesta sexta-feira pelo menos três pessoas morreram e 169 foram detidasEfe

A Irmandade Muçulmana pediu o boicote do referendo constitucional já que se opõe ao processo conduzido pelo Exército após o golpe militar do dia 3 de julho de 2013, que inclui uma reforma na Carta Magna e novas eleições legislativas e presidenciais, ainda a serem realizadas. 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência