Por tamara.coimbra

Egito - Um homem morreu em confrontos entre as forças de segurança e apoiadores da Irmandade Muçulmana, grupo do presidente deposto Mohamed Mursi, nesta terça-feira, primeiro dia de um referendo constitucional, informaram fontes da área de segurança.

Mahmoud Sayed Gomaa, de 25 anos, foi morto durante um protesto contra o referendo perto de um local de votação na província de Bani Suef, ao sul do Cairo.

O referendo é a primeira votação no Egito desde a deposição de Mursi pelo Exército, em 3 de julho, após grandes protestos contra o governo do líder islâmico.

Explosão que ocorreu perto de um complexo judicial no distrito de Imbaba%2C foi escutada no Cairo antes de votação começarReuters


Explosão antes de votação

?Uma explosão aconteceu nesta terça-feira perto de um tribunal no bairro de Imbaba no Cairo, a capital do Egito, sem causar vítimas, pouco antes do início do referendo sobre a nova Constituição.
Publicidade
Segundo um comunicado do Ministério do Interior, os especialistas na desativação de explosivos trabalham no local para determinar se a detonação foi causada por uma bomba. A explosão aconteceu próxima da Corte do Norte de Gizé, cuja fachada sofreu danos materiais, assim como outras casas e veículos nos arredores.
Nos últimos meses, os atentados terroristas aumentaram no Egito, principalmente contra as forças de segurança, por isso as autoridades mobilizaram cerca de 160 mil militares para garantir a segurança durante a votação.
Publicidade
O referendo acontece entre esta terça e quarta-feira com o objetivo de assinar a Carta Magna, que substituirá a aprovada pelos islamitas em 2012 e que foi suspensa pelos militares em julho, após o impeachment do presidente Mohammed Mursi.
Você pode gostar