Por fernanda.magalhaes
Flórida (Estados Unidos) - Um juiz do litoral oeste da Flórida negou nesta terça-feira a liberdade sob fiança ao ex-policial de 71 anos acusado de matar a tiros um homem que o incomodava no cinema por mandar mensagens de texto pelo celular.
O capitão aposentado da polícia de Tampa, Curtis Reeves, teve a fiança negada, mas o juiz responsável pela decisão explicou que teria o direito de solicitar o benefício em outro tribunal, divulgou o canal "ABC Action News".
Publicidade
O acusado não compareceu no tribunal do condado, onde se reuniram vários amigos e colegas do idoso.
Reeves disparou nesta sergunda-feira contra Chade Oulson, de 43 anos, e na esposa dele depois da vítima se negar a deixar de enviar SMSs durante a projeção do filme "O Grande Herói" (Lone Survivor) em um cinema de Wesley Chapel.
Publicidade
Por motivos ainda não completamente esclarecidos, começou uma discussão entre o casal e o assassino, que estava com sua esposa na fileira imediatamente anterior.

Em um momento da discussão, o suspeito tirou uma pistola e disparou contra o casal que estava à frente dele.

Polícia chega ao cinema onde tiroteio fez uma vítima fatal e deixou um ferido nesta segunda-feiraReprodução CNN

As vítimas foram levadas até um hospital de Tampa, mas o homem não conseguiu sobreviver ao tiro à queima-roupa.

"Alguém jogou pipocas (no outro); não tenho certeza de quem foi," disse um espectador que testemunhou o incidente. Ele ainda explicou que o ex-policial se levantou da cadeira e saiu da sala supostamente para buscar o gerente do cinema, mas voltou poucos minutos depois sozinho e aparentemente zangado.

Então o bate-boca foi retomado aos gritos entre os dois homens, e Reeves tirou a pistola e atirou em Oulson. O tiro feriu a esposa dele na mão quando tentava proteger seu marido, e entrou no peito da vítima.
Publicidade
Segundo o canal "10News", de Tampa, foi um espectador que conseguiu imobilizar o autor dos disparos até a chegada da polícia. O cinema foi evacuado e a sessão interrompida.
Publicidade