Por fernanda.magalhaes
Estados Unidos - Cecilia Abadie, a mulher que fez história em outubro do ano passado ao ser processada por dirigir usando o Google Glass, fez história mais uma vez ao ser absolvida por um tribunal de San Diego.
Ela foi parada por estar acima do limite de velocidade permitido quando usava os óculos que aumentam a realidade, o Gogle Glass. O policial rodoviário da Califórnia que a parou, além da acusação por alta velocidade, fez a acusaçao sobre dirigir usando o Google Glass.
Publicidade
No entanto, o oficial estava em terreno legal. Segundo o Código de Estrada da Califórnia, teria que ser provado que o monitor estava sob os olhos de Abadie. Ela nega.
Cecilia Abadie absolvida por dirigir com usando o Google GlassReprodução Twitter

Não havia prova de que o dispositivo estava ligado. Foi o que julgou o comisssário John Blair do tribunal de tráfego de San Diego.

Quem gosta do Google Glass pode se sentir livre para usá-lo, pelo menos na Califórnia. Mas ainda há questões sem resposta sobre segurança.

Se o motorista estivesse com o dispositvo ligado no momento da direção, seria simples desligá-lo sob o comando de voz antes que qualquer policial se aproximasse do veículo. Então, nada poderia ser provado.
Publicidade
Isto significa que quem usar o Google Glass e for dirigir deve ter responsabilidade e o poder legislativo do estado da Califórnia, em Sacramento decidirá se são necessárias novas leis.