Por fernanda.magalhaes
Estados Unidos - A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, que completa 50 anos nesta sexta-feira, jamais esteve tão bem quanto agora, segundo quem a conhece de perto.
A esposa de Barack Obama também celebra seu quinto aniversário como primeira-dama, um posto que aproveitou, sobretudo, para promover a alimentação saudável entre as crianças e melhores condições de vida para os veteranos de guerra e seus familiares.
Publicidade
Mas, como ela mesma diz, seu maior trabalho é o de ser "mãezona" de suas duas filhas, Malia e Sasha, cujas rotinas escolares e de lazer ela supervisiona diariamente, além de assessorá-las no quesito estilo e moda com muitos acertos, segundo especialistas.
Nascida em Chicago no dia 17 de janeiro de 1964 e graduada em Direito por Harvard, Michelle se sente muito bem nesta etapa da vida, na qual colhe os frutos da "energia" dedicada aos seus trabalhos como primeira-dama. "Ela nunca esteve melhor", afirmam os mais chegados.
Publicidade
Em entrevista à revista "People" por ocasião de seu aniversário, Michelle confessou que neste momento da vida "o céu é o limite". Por isso, segue em busca de formas de "ter relevância" como mãe e como profissional quando deixar a Casa Branca dentro de três anos.
"Sempre senti que minha vida está em contínua evolução. Terei 50 e tantos anos quando deixar a Casa Branca, e há muitas coisas que ainda farei. Não tenho direito de me acomodar simplesmente pelos meus privilégios", afirma.
Publicidade
Na entrevista, a primeira-dama também conta que, atualmente, não se imagina fazendo uma cirurgia estética. Contudo, esclarece que aprendeu a "nunca dizer nunca", e que não está com obsessiva preocupação com o que come. Ela se alimenta diariamente de verduras e frutas, e pratica esporte com regularidade.
Pouco depois de chegar à Casa Branca, a primeira-dama montou uma horta nos jardins da residência presidencial, e desde 2010 é a chefe do programa "Let's Move!" ("Vamos nos movimentar!"), voltado a uma alimentação saudável e à prática de exercícios físicos com o objetivo de reduzir as taxas de obesidade infantil no país.
Publicidade
Em agosto do ano passado, um relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) revelou que, pela primeira vez em muitos anos, está sendo registrada uma queda nas taxas de obesidade infantil.
Publicidade
No entanto, uma a cada oito crianças da pré-escola nos Estados Unidos é obesa, e a proporção é ainda maior entre as crianças negras e hispânicas, por isso a primeira-dama segue "muito comprometida" com essa campanha.
Ela tem a forçaReuters

Michelle também está envolvida em um programa de apoio aos veteranos de guerra e suas famílias - que promove em parceria com Jill Biden, esposa do vice-presidente Joe Biden -, que já gerou 380 mil empregos para esses militares e seus parentes.

Ultimamente esteve envolvida também nos esforços de seu marido para melhorar o sistema educacional. Hoje mesmo participou junto com ele de um ato na Casa Branca para anunciar novas medidas para garantir acesso à universidade aos estudantes de baixa renda.

Ela "apresenta uma paixão e uma experiência a este tema que são extraordinárias. Eu não poderia estar mais orgulhoso do trabalho que fez e seguirá fazendo em torno destas questões", disse hoje Obama sobre sua mulher, a quem não se cansa de elogiar em público cada vez que tem uma oportunidade.
Publicidade
Neste sábado haverá uma festa informal na Casa Branca para a qual Michelle deu aos seus convidados as seguintes instruções: "Tragam sapatos confortáveis, comam antes de vir e treinem passos de dança".
De acordo com a imprensa americana, Beyoncé cantará na festa, e os rumores a respeito cresceram depois de se saber que o marido da artista, o rapper Jay-Z, fará um show nesta noite em Washington.
Publicidade
O presente antecipado de Michelle foi prolongar as férias de fim de ano no Havaí na companhia de amigas, como a popular apresentadora Oprah Winfrey.