Por clarissa.sardenberg
Inglaterra - O príncipe Harry deixará de pilotar helicópteros de combate "Apache" para começar nas próximas semanas um novo trabalho como organizador de eventos comemorativos para o Exército britânico, anunciou nesta sexta-feira o Palácio de Kensington.
O filho mais novo de Charles e Diana desempenhará um novo papel desde a sede em Londres do Exército e terá entre suas novas funções a preparação de eventos cerimoniais e visitas de Estado.
Harry participou de missões no AfeganistãoReprodução Internet

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, um porta-voz do palácio disse que entre as responsabilidades que Harry assumirá estão "ajudar a coordenar projetos significativos e eventos comemorativos nos quais esteja envolvido o Exército em Londres".

"O príncipe Harry conservará a categoria de capitão e trabalhará desde o edifício do Horse Guards - onde está a guarda montada a cavalo de palácio-, no centro de Londres", explicou a mesma fonte.

O neto de Elizabeth II passou três anos e meio realizando serviços operacionais e de treino com as Forças Apache e foi duas vezes ao Afeganistão para lutar contra os talibãs durante sua estadia com as Forças Aéreas.

Alguns meios de comunicação britânicos sugeriram nesta sexta que em seu novo papel, Harry poderá se envolver nos "Warrior Games" ("Jogos do Guerreiro"), um evento esportivo no qual mais de 200 soldados feridos em serviço disputam competições esportivas nos EUA ao estilo dos Jogos paralímpicos.

Publicidade
No ano passado, o príncipe se deslocou aos EUA para apoiar os concorrentes que participavam do evento e confia em poder levar a competição ao Reino Unido.
O coronel Tom de la Rue, que esteve no comando de Harry com as Forças Aéreas, assinalou que o capitão Gales (como é conhecido no Exército) "alcançou o auge da excelência no ar como piloto de helicópteros Apache, particularmente no Afeganistão".
Publicidade
Rue acrescentou que "no processo, (Harry) demonstrou que é uma verdadeira inspiração para os muitos oficiais e soldados das Forças Aéreas que puderam conhecê-lo muito bem nos últimos dois anos".
Após conhecer esta notícia, o porta-voz oficial do primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, expressou hoje durante um encontro com os meios de comunicação em Westminster o "sólido apoio" do chefe do Executivo à nova iniciativa do príncipe.