Artista da BBC é suspeito de ter abusado de mil crianças

Relatório de ex-juíza torna mais explosivo escândalo envolvendo apresentador morto em 2011

Por O Dia

Londres - Um relatório da ex-juíza da Corte de Apelações britânica Janet Smith torna ainda mais explosivo o caso de abuso sexual envolvendo Jimmy Savile, que foi apresentador de programas infantis da TV BBC durante 41 anos. Acusado de molestar e estuprar meninos e meninas nas dependências da emissora, Savile está agora sob suspeita de ter atacado cerca de mil crianças em quatro décadas. Ele morreu em 2011.

O documento da ex-juíza, que deve ser divulgado em fevereiro, foi citado em reportagem publicada ontem pelo jornal ‘The Observer’. As denúncias também envolvem executivos da BBC, que estão sob suspeita de ter conhecimento dos abusos e não interferir para conter Savile.

Jimmy Savile morreu antes de as denúncias contra ele virem à tonaReprodução Internet

O escândalo explodiu em outubro de 2012, quando foram divulgados depoimentos de vítimas de Savile, agora adultas, que diziam ter sido atacadas na BBC e também nos hospitais onde o artista fazia trabalhos de caridade. Na época, a BBC foi acusada de ter engavetado denúncias parecidas no período em que apresentava programas em homenagem a Savile. Toda a cúpula da emissora foi trocada.

Ainda segundo o relatório da ex-juíza, o auge dos abusos cometidos por Savile foi durante os anos 60 e 70. Mas há depoimentos que indicam que ele continuou atacando até 2006, quando tinha 79 anos. Há um ano, a polícia britânica divulgou que pelo menos 214 pessoas haviam sido molestadas ou estupradas pelo apresentador.

Uma única advogada, Liz Dux, representa 74 vítimas. “Savile aproveitava cada oportunidade”, disse Liz ao ‘The Observer’. O presidente-executivo da Associação Nacional para Pessoas vítimas de Abuso na Infância (Napac, na sigla em inglês) foi ouvido por Janet Smith.

“Considerando a vida de Savile, eu não duvidaria (de que ele tenha abusado de mil crianças). A outra coisa que eu achei extraordinária e muito triste foi o número de pessoas ligadas à BBC com quem falei e que disseram: ‘Ah, sim, todos nós sabíamos sobre ele.’”

A advogada Liz Dux briga hoje para que seus clientes sejam indenizados pela BBC: “Mais que olhar internamente, a emissora deve aceitar alguma responsabilidade corporativa. Meus clientes foram deixados em uma situação muito difícil.”

Últimas de _legado_Mundo e Ciência