Ataque a comboio militar no Paquistão deixa 20 soldados mortos e 30 feridos

Movimento talibã paquistanês assumiu a autoria do atentado

Por O Dia

Paquistão - Pelo menos 20 pessoas morreram e 30 ficaram feridas após a explosão de uma bomba durane a passagem de um comboio militar na província de Khyber Pakhtunkhwa, leste do Paquistão, informaram fontes oficiais citadas por meios de imprensa locais.

O ataque aconteceu no distrito de Bannu, quando o comboio, alugado para o transporte de tropas, e ativado por controle remoto, se dirigia à zona tribal vizinha do Waziristão do Norte durante uma missão militar para combater a insurgência na região, fronteiriça com o Afeganistão e que abriga vários grupos armados.

As forças de segurança isolaram a área da explosão, que de acordo com testemunhas foi ouvida a vários quilômetros de distância.

A autoria do atentado foi reivindicada pelo movimento talibã paquistanês, Tehrik-i-Taliban Paquistão, cujo porta-voz, Shahidula Shahid, advertiu em entrevista à emissora "Dawn" que os insurgentes prosseguirão sua ofensiva contra as forças de segurança.

Polícia paquistanesa e exército protegem a estrada que leva à cena da explosão de uma bomba que tinha como alvo um comboio em BannuEFE

O novo ataque se produz depois que fracassou uma tentativa de negociação entre o governo e o TTP por causa da morte em novembro passado do até então líder do movimento talibã local, Hakimullah Mehsud, em um bombardeio de um avião espião americano.

O TTP elegeu uma semana depois como novo líder o conhecido como mulá Fazlula, que representa a linha dura no movimento insurgente e que descartou a possibilidade de um processo de diálogo proposto pelas autoridades paquistanesas.

O mulá Fazlula é o idealizador do ataque que em 2012 deixou em estado grave a adolescente Malala Youzafzai, cuja campanha a favor da escolarização das meninas - proibida pelos talibãs - a tornou um ícone mundial da luta contra a intolerância.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência