Afastado do banco do Vaticano, dom Odilo diz desconhecer desvio de dinheiro

Gestão do órgão que controla as finanças da Igreja perdeu a credibilidade após a divulgação de uma série de denúncias de má gestão financeira

Por tamara.coimbra

Vaticano - Afastado pelo Papa Francisco da comissão que supervisiona o banco do Vaticano, o cardeal brasileiro Odilo Scherer afirmou desconhecer a existência de desvio de dinheiro ou fraudes na Santa Sé. Segundo ele, a associação de seu nome a escândalos financeiros na Igreja (e a consequente mudança na gestão do Instituto para as Obras da Religião, nome oficial do banco) é uma injustiça.

Nomeado para o cargo pelo antecessor de Francisco, Bento 16, dom Odilo considera a troca normal porque se trata de um cargo de confiança. "Estou absolutamente tranquilo com as mudanças. Elas estão acontecendo em toda a Santa Sé. São absolutamente normais quando há mudança de governo, como acontece também nos governos civis", disse.

A gestão do órgão que controla as finanças da Igreja perdeu a credibilidade após a divulgação de uma série de denúncias de desvio de recursos e lavagem de dinheiro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia