Político chinês é condenado à morte por corrupção, diz agência de notícias

País conduz há dez meses uma campanha contra o 'Movimento Novos Cidadãos', que defende uma mudança no sistema de dentro para fora

Por tamara.coimbra

China - Um funcionário municipal chinês foi condenado à morte, com um adiamento de dois anos, por aceitar mais de 1 milhão de dólares em suborno, informou a agência oficial de notícias Xinhua nesta quinta-feira, destacando os esforços do governo para reprimir a corrupção.

Zhou Jianhua presidiu o Comitê Permanente da Assembleia Popular da cidade de Xinyu, na província de Jiangxi, sul da China, de acordo com o Tribunal Superior Popular de Jiangxi, segundo Xinhua.

A agência disse que Zhou aceitou 10,2 milhões de iuanes (1,6 milhão de dólares), dezenas de milhares de dólares norte-americanos e de Hong Kong, bem como três barras de ouro e objetos avaliados em 236 mil iuanes (38.991 mil dólares). No momento, um tribunal de instância superior reexamina o caso, acrescentou a Xinhua.

O presidente chinês, Xi Jinping, fez da luta contra a corrupção uma prioridade desde que tomou posse em março passado, e alertou, como outros antes dele, que a corrupção ameaça a própria sobrevivência do Partido Comunista Chinês. Mas a repressão do governo aos ativistas que pedem a autoridades que divulguem suas riquezas expõe a ambivalência de Pequim em acabar com a corrupção.

A China conduz há dez meses uma campanha contra o "Movimento Novos Cidadãos", que defende uma mudança no sistema de dentro para fora, inclusive pressionando autoridades a divulgarem seus ativos. Seu principal líder, Xu Zhiyong, foi julgado nesta semana, no mais importante julgamento de um dissidente nos últimos dois anos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia