Por tamara.coimbra

Tailândia - Problemas em um programa de aquisição de arroz complicaram nesta terça-feira a situação política da primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra, enquanto a oposição foi à Justiça tentando anular a conturbada eleição geral do fim de semana. A crise no programa de aquisição de arroz representa um duro golpe para a primeira-ministra, pois esse foi um importante trunfo na campanha eleitoral que a levou ao governo, em 2011, mas desde então enfrenta denúncias de corrupção e crescentes prejuízos.

Prejuízos aos contribuintes têm alimentado os protestos contra o governo da primeira-ministra tailandesa%2C Yingluck ShinawatraReuters


O ministro do Comércio disse que a China cancelou uma encomenda de 1,2 milhão de toneladas de arroz por causa de uma investigação de corrupção, e o estatal Krung Thai Bank (KTB) se somou a outros credores que decidiram cortar os financiamentos necessários para salvar a operação. O programa de aquisição de arroz foi uma das políticas populistas adotadas pelo ex-premiê Thaksin Shinawatra, irmão de Yingluck, que foi deposto em 2006.

Os prejuízos aos contribuintes, estimados em 200 bilhões de bahts (US$ 6 bilhões) por ano, têm alimentado os protestos contra o governo de Yingluck, e problemas no pagamento agora ameaçam causar descontentamento entre os agricultores que constituem a base de apoio da primeira-ministra, no norte e nordeste do país.

Paralelamente, no domingo manifestantes da oposição atrapalharam a votação em um quinto dos distritos eleitorais. Como o pleito não foi concluído, Yingluck permanecerá como primeira-ministra interina, incapaz de tomar decisões políticas, enquanto manifestantes continuam bloqueando parte da capital, como ocorre desde novembro.

O Partido Democrata, da oposição, boicotou a eleição e nesta terça-feira contestou judicialmente sua legalidade. Ele também tenta colocar o partido Puea Thai, de Yingluck, na ilegalidade, por ter promovido uma eleição sob circunstâncias anormais, já que Bangcoc está sob estado de emergência.

Os manifestantes da oposição - concentrados principalmente em Bangcoc e no sul da Tailândia, as regiões mais ricas - acusam Yingluck de ser um fantoche de Thaksin, e dizem que ela está usando verbas públicas para comprar o apoio de eleitores por meio de programas sociais. O Puea Thai venceu todas as eleições que disputou desde 2001. As autoridades eleitorais vão se reunir na quarta-feira para discutir as denúncias de irregularidades na eleição de domingo.

Você pode gostar