Por fernanda.magalhaes

França - A polícia francesa mantém detidos três adolescentes, de 14 a 15 anos, que atacaram um portador de deficiência mental de 18 anos em Grenoble e depois postaram o vídeo da agressão no Facebook, informou nesta terça-feira a emissora "RTL".

No ataque, também participou um quarto adolescente, de 12 anos, que filmou a cena e foi libertado nesta terça-feira à espera de seu pronunciamento perante a Justiça.

Os fatos ocorreram no domingo passado em um parque de Grenoble, onde dois menores agarraram um jovem incapacitado, Yoann, e bateram nele até deixá-lo no chão, para posteriormente empurrá-lo para uma lagoa próxima entre os risos e comentários dos outros dois adolescentes presentes.

Os menores, que não têm antecedentes criminais, reconheceram nesta terça-feira à polícia ter agredido o incapacitado "por diversão" e como "parte de um jogo", explicou em entrevista coletiva o promotor de Grenoble, Jean-Yves Coquillat.

Acrescentou que o jovem portador de deficiência, que denunciou nesta segunda-feira a agressão, foi examinado no hospital, onde se descartou que sofresse lesões.

O promotor também detalhou que as penas para esse tipo de caso podem chegar "a cinco anos de prisão e a 75 mil euros de multa", mas que, por se tratar de menores de idade, a condenação se reduzirá à metade e terá uma vertente "educativa".

O pai da vítima denunciou hoje os fatos à "RTL", se declarando "indignado" e exigiu "punição" para os agressores.

"Não se pode atacar um incapacitado", asseverou o pai, que chamou de "covardes" os jovens que "humilharam" seu filho.

"O problema é que o que aconteceu ao Yoann pode acontecer a qualquer outro (...). É preciso parar rapidamente esse tipo de ação", desabafou.

Um dos agressores subiu o vídeo para o Facebook através de sua conta pessoal e a resposta foi imediata na rede social, onde houve uma mobilização em massa e surgiram em seguida várias páginas de apoio à vítima, segundo o jornal "Le Parisien".

Os usuários da rede denunciaram os fatos no portal Pharos, a plataforma digital do governo francês destinada a vigiar atividades ilegais na Internet.

A ministra francesa de Incapacidade e Exclusão, Marie-Arlette Carlotti, definiu as imagens como "terrivelmente impactantes pelo cinismo dos agressores e pela vulnerabilidade da vítima" e assegurou que a Justiça ditará "as sanções apropriadas".

Os três jovens serão postos à disposição judicial nesta quarta-feira no início da madrugada e passarão a noite na cela, de acordo com o promotor.


Você pode gostar