Por tamara.coimbra

Estados Unidos - Joan Adams Mondale, ou "Joan of Art" (Joana d'Arte, uma referência à personagem histórica Joana d'Arc), como foi carinhosamente apelidada pelos americanos por seu compromisso com a cultura, morreu na segunda-feira aos 83 anos, informou em comunicado seu marido Walter Mondale, vice-presidente dos Estados Unidos durante o governo Jimmy Carter (1977-1981).

"Agradecemos as demonstrações de afeto e apoio que recebemos. Joan era muito querida por muitos. Sentiremos muito sua falta", afirmou Mondale, que foi senador, vice-presidente e protagonizou uma das maiores derrotas na história das eleições presidenciais dos EUA em 1984, quando foi superado pelo republicano Ronald Reagan.

Ex-vice-presidente Walter Mondale e sua esposa Joan em noite de eleição em St.PaulReuters


A família não revelou as causas da morte de Joan Mondale, repercutida em todo o país por sua incansável defesa das artes e da cultura, um empenho que lhe rendeu a nomeação como presidente de honra do Conselho Federal das Artes e das Humanidades por parte do ex-presidente Carter. Em suas condolências à família Mondale, o presidente dos EUA, Barack Obama, e sua esposa, Michelle, destacaram o trabalho de "Joan of Art" como patrocinadora da arte durante toda sua vida.

O casal Mondale foi o primeiro a morar na residência vice-presidencial situada nos terrenos do Observatório Naval dos EUA, uma casa que Joan transformou em um autêntico museu de arte americana, com obras de artistas de renome e de outros independentes.

"Eu sou uma consumidora (de arte). Não sou uma crítica. Não sou uma historiadora. O que fiz foi uma forma de agradecimento à comunidade artística", disse Joan Mondale sobre seu papel no mundo artístico em uma antiga entrevista ao jornal "The Washington Post".

Você pode gostar