Por tamara.coimbra

Sydney - O náufrago de El Salvador, José Alvarenga, que garante ter passado mais de um ano à deriva e que foi encontrado na semana passada em um remoto atol das Ilhas Marshall, cortou os cabelos e se barbeou após sair do hospital em que foi internado. O salvadorenho ficou bastnate agradecido por se tornar novamente um cidadão respeitável, algo que ele temia nunca mais ver.

Alvarenga deve permanecer em um hotel nas Ilhas Marshall até sexta-feira quando deixará o país. "Agora eu me sinto um novo homem", declarou ele ao site Daily Mail, esfregando a mão em torno de seu queixo.

José Alvarenga tem seu cabelo cortado após ficar mais de um ano à derivaReprodução Internet


José Alvarenga fica muito feliz com a nova aparênciaReprodução Internet


José telefona das Ilhas Marshall para sua família

Alvarenga falou nesta terça-feira com sua família, segundo fontes do hospital em que foi internado. José "falou com sua mãe e seu pai esta manhã e já recebeu alta do hospital" disse à Agência Efe Ron Mendoza, um dos médicos do Hospital de Majuro, a capital das Ilhas Marshall, ao explicar que o único problema do paciente são as enzimas do fígado que estão em nível elevado, o que é relacionado à inanição.

Fontes de Imigração informaram que funcionários da Embaixada do México nas Filipinas devem chegar amanhã ao país para coordenar a viagem. José, que inicialmente foi tido como mexicano, é de El Salvador e morava na Côte D'Azur, no estado mexicano de Chiapas, de acordo com a Secretaria de Relações Exteriores do México.

O pescador aparentemente partiu do México no final de 2012 em uma expedição para pescar tubarões nas águas de El Salvador com um companheiro que provavelmente morreu há alguns meses em alto-mar. Eles partiu em uma embarcação de sete metros para uma viagem que virou por culpa de uma tempestade que os afastou do litoral e os deixou à deriva no Pacífico.

Seu barco de sete metros foi arrastado no dia 30 de janeiro de 2014 até um recife perto de Ebon, um remoto atol das Ilhas Marshall, onde os aldeões o encontraram e tiveram problemas para se comunicar com ele, pois fala somente o espanhol. As autoridades das Ilhas Marshall enviaram um navio até Ebon para levá-lo a Majuro.

Alvarenga contou que conseguiu sobreviver por tantos meses bebendo sangue de tartaruga, quando faltava água da chuva, e comendo quelônios, aves e peixes que capturava com as próprias mãos.

Você pode gostar