Por tamara.coimbra

Londres - Milhões de usuários enfrentaram o caos para se locomover em Londres nesta quarta-feira, o primeiro dia de uma greve de 48 horas dos funcionários do sistema de metrô londrino em protesto a um plano de cortar postos de trabalho e fechar bilheterias. Os membros dos dois maiores sindicatos começaram a primeira de duas paralisações de 48 horas na terça-feira a noite e no horário de pico da manhã desta quarta-feira.

Com a greve usuários enfrentaram longos períodos de espera por ônibus e trens lotados, enquanto fortes ventos atingiam a capital britânica. A maior e mais antiga rede de trilhos subterrâneos do mundo, que transporta mais de três milhões de passageiros por dia, vai continuar a funcionar de modo reduzido até a noite de quinta-feira.

O sindicato RMT e a Associação de Funcionários Assalariados do Transporte convocaram a paralisação em protesto contra o planejamento do metrô de Londres de cortar mil postos de trabalho e fechar bilheterias como parte de um pacote de modernização da rede subterrânea. Uma segunda paralisação está planejada para a próxima semana, entre 11 e 14 de fevereiro.

Passageiro é espremido contra a porta de um dos poucos trens do metrô que ficou superlotado na hora do rush na estação de Oxford Circus%2C em LondresReuters


Você pode gostar