Por tamara.coimbra

Miami - Um juiz americano decidiu nesta terça-feira adiar para 3 de março o julgamento do cantor canadense Justin Bieber, acusado em Miami, na Flórida, por dirigir sob a influência de substâncias tóxicas, excesso de velocidade e de resistir à prisão sem violência, informou uma fonte judicial. A audiência estava inicialmente prevista para 14 de fevereiro.

O outro jovem detido, o cantor de R&B Kahlil Amir Sharieff, a quem o magistrado determinou fiança de US$ 1 mil, será acusado formalmente no próximo dia 24 de dirigir sob a influência de álcool. Em 29 de janeiro, o artista canadense se declarou "inocente" das acusações em declaração por escrito pela defesa.

O cantor, de 19 anos, foi detido na madrugada de 23 de janeiro por estar fazendo um racha em uma região residencial da cidade. Após a prisão de Bieber o GPS do Lamborghini alugado provou que a velocidade não era excessiva. A polícia de Miami Beach foi alvo de críticas por alguns pontos que destacou o boletim de ocorrência, entre outros a suposta competição da estrela do pop com o amigo.

Justin Bieber deixa prisão em Miami e acena para fãs Reuters


O cantor admitiu aos agentes, após a prisão, que tinha fumado maconha, bebido uma cerveja e ingerido pastilhas vendidas somente com prescrição médica. O relatório toxicológico divulgado assinala que o nível de álcool no sangue do artista canadense no momento da prisão era de 0,014 %, equivalente a menos de um copo de cerveja e abaixo do limite legal da Flórida, de 0,08 %.

O cantor foi posto em liberdade poucas horas depois de comparecer perante o juiz por videoconferência e pagar fiança de US$ 2,5 mil. Bieber, que ficou famoso com uma imagem quando criança exemplar, continua acrescentando confusões à lista. Dias antes agentes da polícia de Los Angeles (Califórnia) fizeram uma busca para investigar se estava envolvido em atos de vandalismo em seu bairro.

Em 31 de janeiro, Bieber somou às confusões em Miami e Toronto um novo incidente com as autoridades de Nova Jersey, ao aterrissar em um aeroporto do estado em seu avião privado, de onde saía um intenso cheiro de maconha. Nesse mesmo dia, a Casa Branca disse que responderá "relativamente em breve" o pedido para que Justin Bieber seja deportado, já que foi superada as cem mil assinaturas necessárias para ter de se pronunciar a respeito.

Você pode gostar