Cameron defende permanência da Escócia no Reino Unido

Primeiro-ministro pediu ajuda da Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte e disse: 'Queremos que fiquem'

Por O Dia

Reino Unido - O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou nesta sexta-feira que não suportaria ver o Reino Unido "destroçado" se a Escócia obtiver sua independência e disse que restam sete meses para salvar o país da divisão.

Cameron escolheu a Vila Olímpica de Londres para lançar nesta sexta-feira uma apaixonada defesa da permanência da Escócia no Reino Unido e pediu à Inglaterra, Gales e Irlanda do Norte que enviem uma mensagem clara aos habitantes da Escócia: "Queremos que fiquem".

Em seu discurso, o chefe do governo disse que a cisão pode custar ao Reino Unido sua "influência" econômica, política e diplomática no mundo, por isso restam "sete meses para salvar o país mais excepcional da história".

O primeiro-ministro britânico David Cameron e o ex-jogador de futebol%2C Gary Lineker durante visita à escola em Birmingham Reuters

O referendo será realizado em 18 de setembro e poderão votar todas as pessoas que vivam na Escócia maiores de 16 anos.

O chefe do governo recorreu a suas raízes escocesas e aos benefícios econômicos, culturais e políticos da união para manifestar sua oposição à independência, defendida pelo primeiro-ministro escocês, o nacionalista Alex Salmond.

"Estou orgulhoso das minhas herança escocesas, assim como estou da minha herança inglesa", disse o conservador Cameron, cujos antepassados são procedentes da Escócia e depois emigraram para a Inglaterra.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência