EUA proíbem substâncias líquidas em bagagem de mão nos voos para Rússia

Restrição valerá pelos próximos 30 dias, quando as autoridades vão avaliar se a mesma será mantida após o encerramento dos Jogos de Sochi

Por O Dia

Estados Unidos - Os Estados Unidos anunciaram na quinta-feira a proibição temporária de todo tipo de líquidos, inclusive em quantidades pequenas, nas bagagens de mão em voos diretos para a Rússia, uma medida que já foi tomada pelo governo russo há um mês, devido às ameaças terroristas contra os Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi. Essa restrição, divulgada na quinta pela Agência Federal de Segurança do Transporte (TSA, sigla em inglês), valerá pelos próximos 30 dias, quando as autoridades vão avaliar se a mesma será mantida após o encerramento dos Jogos, que começam nesta sexta-feira e terminam no dia 23 de fevereiro.

A Rússia, país-sede da competição, tomou uma medida idêntica no último dia 11 de janeiro, ao proibir qualquer tipo de líquido na bagagem de mão dos aviões, inclusive em quantidades inferiores a 100 mililitros. Já os remédios serão permitidos, tanto nos voos americanos como nos russos.

Anéis olímpicos no aeroporto de Sochi onde serão realizados os Jogos Olímpicos de InvernoReprodução Internet


A decisão dos Estados Unidos de proibir as substâncias líquidas na bagagem de mão acontece um dia depois que o Departamento de Segurança Nacional alertou as companhias aéreas responsáveis pelos voos para a Rússia sobre a possibilidade de atentados com explosivos escondidos em tubos de pasta de dente. A guerrilha islâmica do Cáucaso e outros grupos extremistas vêm ameaçando a realização dos Jogos há meses, com mensagens que se intensificaram nas últimas semanas.

Os EUA ofereceram várias vezes sua colaboração à Rússia, sobretudo depois dos dois atentados suicidas que causaram a morte de 30 pessoas no final de 2013 na cidade de Volgogrado, também no sul do país. O presidente dos EUA, Barack Obama, disse na quinta que a Rússia tem "um grande desafio" para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos de Inverno e destacou que sua administração trabalha "constantemente" com as autoridades russas.

Já estão em Sochi mais de 230 atletas e 270 treinadores dos Estados Unidos. Além disso, são esperados aproximadamente 10 mil cidadãos americanos na cidade. Apesar das ameaças, ninguém cogitou um possível adiamento dos Jogos, que despontam como os mais caros da história com um gasto previsto de US$ 50 bilhões.

Mais de 52 mil agentes da polícia e efetivos do Ministério do Interior russo, assim como 23 mil membros do Ministério para Situações de Emergências, se encarregarão da segurança dos Jogos.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência