Alemanha ameaça Ucrânia com sanções após confrontos e mortes em Kiev

Através de comunicado, ministro das Relações Exteriores da Alemanha disse que 'aumento da violência é a última coisa de que país precisa'

Por O Dia

Alemanha - O ministro das Relações Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, ameaçou nesta terça-feira as autoridades ucranianas, especialmente o presidente Viktor Yanukovich, com "sanções pessoais" para os responsáveis por "um banho de sangue" em Kiev, onde os conflitos já fizeram nove vítimas mortas.

"Todos devem se manter afastados de qualquer forma de provocação em Kiev neste momento de tensão. Um aumento da violência é a última coisa de que o país precisa" manifestou Steinmeier em comunicado.

"O responsável pelas decisões que levarem a um banho de sangue no centro de Kiev ou em outro lugar da Ucrânia deve contar com que a Europa reconsidere sua hesitação a aplicar sanções pessoais" opinou o ministro germânico.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-walter Steinmeier Reuters

Steinmeier também considerou no texto que as forças de segurança ucranianas "têm uma responsabilidade especial" nos eventos e advertiu o governo de Yanukovich que "um ultimato não é o caminho adequado" para solucionar o conflito.

Em comunicado anterior, divulgado antes que o saldo de vítimas em Kiev crescesse ao longo da tarde, o ministro reafirmou sua opinião de que tanto os opositores como o governo ucraniano deveriam solucionar o conflito por vias pacíficas.

"Exijo energicamente às partes envolvidas no conflito que continuem no caminho dos últimos dias e busquem, através de conversas, uma solução política", havia afirmado Steinmeier em seu comunicado anterior.

A chanceler alemã, Angela Merkel recebeu ontem em Berlim os líderes opositores ucranianos, Vitali Klitschko e Arseni Yatseniuk embora tenha se recusado a falar sobre a imposição de sanções concretas.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência