Por tamara.coimbra

Estados Unidos - O presidente dos EUA, Barack Obama, criticou a Venezuela por prender manifestantes e pediu ao governo que se concentre nas "reivindicações legítimas" do seu povo. Obama não mediu as palavras ao reagir, durante uma entrevista à imprensa no encerramento de um fórum sobre a América do Norte, a expulsão de três diplomatas norte-americanos acusados de recrutarem estudantes para liderar protestos em Caracas.

Em vez de fazer "falsas acusações" contra os diplomatas dos Estados Unidos, o governo da Venezuela deveria se focar nas "reivindicações legítimas", disse Obama. Ele pediu ao governo venezuelano que liberte os manifestantes detidos e que propicie um diálogo real. "Todas as partes têm a obrigação de trabalhar juntas", disse Obama.

Presidente dos EUA%2C Barack Obama faz discurso durante coletiva na Cúpula de Líderes da América do Norte%2C em Toluca%2C perto da Cidade do México Reuters

O caso

Na ocasião, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, não identificou os funcionários consulares, mas disse que autoridades de inteligência que os seguem há dois meses encontraram provas de que eles tentavam se infiltrar nas universidades venezuelanas, local de organização da recente mobilização, sob a desculpa de fazer triagem para vistos.

O detonador para a expulsão está o fato de o governo de Barack Obama ter-se posicionado a favor do líder opositor Leopoldo López - se entregou à polícia na última terça-feira -, que está sendo acusado de liderar uma conspiração "fascista" para derrubar o governo socialista dois meses depois de os governistas terem vencido eleições municipais de lavada.

Você pode gostar