Por tamara.coimbra

Turquia - O líder do partido de oposição turco, Devlet Bahceli, chamou os procuradores da Turquia para lançar uma investigação contra o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, por corrupção. O pedido aconteceu um dia após a divulgação de um áudio supostamente de Erdogan mandando seu filho dispor de uma grande quantia em dinheiro, em meio a suspeita de suborno.

Na gravação, feita pelo chefe de inteligência da Turquia, é possível identificar duas vozes distintas – supostamente de Erdogan e de seu filho – que discutem quais os meios seriam usados para se livrar de uma grande quantia de dinheiro. O áudio está circulando pela internet.

Mais tarde, comunicado do escritório do primeiro-ministro disse que a gravação é imoral e não passa de uma ação fabricada. No documento, ele diz ainda que tomará as medidas legais cabíveis contra os autores.

O primeiro-ministro da Turquia%2C Tayyip Erdogan aborda os membros do parlamento do seu Partido AK (AKP)%2C durante uma reunião no Parlamento turco em AncaraReuters

Bahceli, líder do partido de extrema-direita Ação Nacionalista, afirmou que as gravações são “inacreditáveis” e incitou os promotores e outros órgãos judiciais a intervirem no caso. Ele disse que Erdogan não deveria “nem pensar” em escapar da culpa, alegando que as fitas foram editadas, por exemplo.

O partido de oposição do Povo Republicano, convocou reunião de emergência na noite desta segunda-feira e pediu para Erdogan renunciar, dizendo que ele havia perdido sua legitimidade. “A Turquia não pode continuar com essa mancha e fardo pesado”, disse Haluk Koc, funcionário do alto escalão do partido.

De acordo com a Associated Press, a autenticidade do áudio, gravado no dia 17 de dezembro, não pode ser comprovada. Erdogan insiste que a investigação sobre os crimes de corrupção feitas contra pessoas próximas a ele é uma conspiração contra seu governo antes das eleições locais, a serem realizadas em março, e às eleições presidenciais, em agosto.

Você pode gostar