Por tamara.coimbra

Ucrânia - O ministro do Interior interino da Ucrânia, Arsen Avakov, anunciou nesta quarta-feira a dissolução da tropa de choque da polícia, os "Berkut" ("Águia"), utilizada na repressão dos protestos populares que provocaram a queda do regime de Viktor Yanukovich. "Os 'Berkut' não existem mais. Assinei a ordem Nº 144, com data de 25 de fevereiro de 2014, para a liquidação das unidades especiais da tropa de choque da polícia 'Berkut'", escreveu durante a madrugada o responsável interino de Interior em seu perfil do Facebook.

Avakov antecipou que no decorrer desta quarta-feira oferecerá uma entrevista com a imprensa para explicar os detalhes e alcances dessa decisão. O partido nacionalista Svoboda (Liberdade) tinha apresentado no último domingo um projeto de lei para dissolver a tropa de choque, responsável pela maioria das mortes durante os violentos confrontos da semana passada em Kiev, que resultaram em 82 mortes e quase 700 feridos.

No final do ano passado os destacamentos "Berkut", que não têm um comando unificado, mas são subordinados às delegações regionais do Ministério do Interior, contavam com 4 mil efetivos. Os "Berkut", conhecidos como "boinas vermelhas", foram criados em 1992 sobre a base das forças especiais da polícia da Ucrânia soviética.

Impasse com a Rússia motivou revolta

As manifestações começaram em novembro, depois que o presidente Viktor Yanukovych anunciou sua decisão de não assinar um acordo de cooperação com a União Europeia, que poderia, no futuro, ter a Ucrânia como um de seus membros.

A questão, no entanto, é mais complexa e tem raízes na história recente do país, nascido após a desintegração da ex-União Soviética. O país está no meio de uma disputa de forças entre grupos que querem mais proximidade com a União Europeia e outros que têm mais afinidade com a Rússia.

Você pode gostar