Por tamara.coimbra

Vaticano - O Papa Francisco expressou nesta quarta-feira sua preocupação pela situação na Venezuela, fez uma chamada para o fim da violência no país e disse que a reconciliação deve ser favorecida através do diálogo. "Sigo com particular apreensão sobre o que está acontecendo nestes dias na Venezuela, peço que cessem o mais rápido possível a violência e as hostilidades e sobretudo que o povo venezuelano, a partir dos políticos e instituições, cheguem à reconciliação", disse o Papa durante a tradicional audiência das quartas-feiras.

O pontífice pediu, além disso, "um diálogo sincero" para uma "justiça que afronte temas concretos para o bem comum", em referência à onda de protestos com violentas repressões que foram registradas nestes dias na Venezuela contra o líder Nicolás Maduro. Em 6 de novembro, Francisco recebeu em audiência privada o líder opositor venezuelano, o ex-candidato presidencial Henrique Capriles, que chegou ao Vaticano com várias cartas de jovens venezuelanos e entregou ao Papa. Francisco já havia recebido o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em 17 de junho.

Você pode gostar