Por bferreira

Rio - Os pais já têm mais uma alternativa na hora de tratar problemas de saúde nos pequenos. Trata-se do Shonishin, acupuntura voltada para crianças menores de 5 anos. A técnica japonesa é eficaz para males como asma, alergia, cólica e até baixa autoestima. E o melhor é que o tratamento é indolor, já que não há inserção das agulhas na pele.

Elas são, apenas, esfregadas, proporcionando uma sensação agradável, segundo Cesar Imada, especialista em terapias orientais do espaço MS Vida, em São Paulo. “Existem nove tipos diferentes de agulhas, e algumas possuem as pontas arredondadas para serem usadas em técnicas como esfregar ou pressionar”, explica.

Segundo ele, o Shonishin pode ser aplicado desde o nascimento até os 5 anos. Após esse período, com o crescimento das crianças, podem ser adotadas técnicas convencionais de acupuntura. Imada lembra que a lista de males que podem ser tratados é longa: asma, alergia, congestão nasal, otite, indigestão, cólicas, problemas dermatológicos, xixi na cama, hiperatividade e baixa autoestima.

Além de acalmar as crianças, as agulhas ativam os pontos de acupuntura presentes no corpo inteiro. A ação estimula o organismo a combater o problema. No caso da hiperatividade, ele explica que o transtorno também tem aspectos físicos, que são trabalhados na técnica japonesa. “A hiperatividade não é só mental, é comportamental e, normalmente, tem a ver com um metabolismo muito acelerado”, disse, acrescentando que um outro benefício para a criança é não ter que fazer uso de medicamentos.

Ainda segundo o especialista, em casa, as mães podem usar uma colher de prata para tranquilizar as crianças. A recomendação é fazer movimentos no corpo de cima para baixo, passando pelo braço, região escapular e cabeça. “É uma espécie de carinho ao longo do corpo que equilibra as energias”.

Você pode gostar