Por julia.sorella

Lima - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori, que cumpre pena de 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade, foi internado nesta sexta-feira em uma clínica de Lima por uma lesão no braço esquerdo produto de um "pequeno infarto cerebral", informou o neurologista Juan Francisco Barreto.

"A perda de força (no braço) é produto de um infarto cerebral" que, se não tiver atendimento imediato, pode deixar a vítima hemiplégica (com um lado do corpo paralisado) ou em cadeira de rodas, detalhou Barreto às portas da clínica.

O ex-presidente de 75 anos havia sido levado da prisão para essa clínica na manhã desta sexta-feira apenas para se submeter a uma ressonância magnética pela lesão no braço, mas os médicos que o atenderam determinaram que deveria ficar internado. O neurologista acrescentou que "sua situação é moderadamente grave" e que serão feitos diversos exames neurovasculares. O tempo que o ex-presidente vai "ficar internado depende de como (seu estado) evoluir", acrescentou.

O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori Efe

Horas antes, em declarações ao "Canal N", o médico Alejandro Aguinaga havia declarado que Fujimori apresentou no domingo passado "perda de força no braço esquerdo", e pediu a um neurologista para avaliá-lo. "A primeira impressão foi de que era um espasmo transitório, porque foi recuperando a força, mas a sensibilidade fina continua comprometida", afirmou Aguinaga.

Para ter precisão diagnóstica, o neurologista recomendou fazer uma ressonância magnética ao ex-presidente, segundo Aguinaga. Fujimori compareceu nesta quinta-feira a uma nova audiência do julgamento contra ele pelo desvio de fundos estatais para comprar a linha editorial de jornais sensacionalistas durante sua campanha para as eleições presidenciais de 2000.

Alejandro Aguinaga, médico pessoal do ex-líder peruano, declarou que Fujimori está fatigado e que o processo judicial contra ele"compromete sua saúde".

Você pode gostar