Por julia.sorella
Edifício onde a brasileira Andina foi encontrada morta%2C na EspanhaEfe

Rio - A família da brasileira Andina Pereira de Brito, de 35 anos, assassinada na segunda-feira em sua casa na cidade de Mungia, no País Basco, na Espanha, começou nesta terça-feira uma campanha pelo Facebook para arrecadar dinheiro e financiar o traslado do corpo, assim como o retorno dos dois filhos dela ao Brasil.

Andina morreu supostamente estrangulada, e seu ex-namorado, um espanhol também de 35 anos, foi detido horas depois como principal suspeito do crime. Fábio Brito, irmão da vítima, disse à Agência Efe que a família precisa arrecadar R$ 35 mil para pagar a repatriação do corpo e a viagem dos filhos dela, uma menina de 11 anos; e um menino de 15.

Os dois estão em um abrigo aguardando a chegada de Fernando Brito, o outro irmão de Andina. "Não é certo que o consulado nos ajude, e precisamos de certeza.Precisamos trazê-la o mais rápido possível, vê-la aqui e enterrá-la junto a nós", disse Fábio em entrevista por telefone à Agência Efe. Ele disse que a família, que vive na cidade de Redenção, no Pará, está se mobilizando e fazendo todo o possível para conseguir contribuições para arrecadar o dinheiro necessário para custear a viagem.

Na cidade de Mungia, o assassinato de Andina motivou repulsa unânime da população. A Associação de Municípios Bascos (Eudel) expressou sua "mais enérgica repulsa" pelo crime, e reivindicou trabalhar mais em favor da igualdade para que não voltem a ocorrer casos de violência como esse.

De acordo com Fábio, a prefeita de Mungia, Izaskun Uriagereka, está ajudando e acompanhando diretamente as investigações.

Você pode gostar