Protestos na Venezuela registram 33 mortes em todo o páis

Segundo a imprensa local, mais duas pessoas morreram entre sexta e sábado

Por O Dia

Venezuela - Os protestos que ocorrem na Venezuela há mais de um mês tiraram a vida de mais duas pessoas neste sábado. Em San Cristóbal, no oeste do país, o prefeito encarregado, Sergio Vergara, confirmou a morte de Wilfredo Rei, um motorista de uma linha de transporte do município que faleceu perto da meia-noite após ser atingido por uma bala.

Milhares de pessoas tomam as ruas do páis em protesto contra MaduroReuters


Vergara atribuiu a responsabilidade da morte "a grupos coletivos que estão acompanhando a ação dos corpos de segurança", durante uma operação nos bairros Sucre e Libertador, embora assinalou que não conhecia com exatidão os detalhes do tiroteio. Os protestos contra o presidente socialista Nicolas Maduro já registram o número de 33 mortes em quase dois meses de manifestações.

Manifestantes da oposição que se queixam de aumento dos preços e escassez de produtos prometeram permanecer nas ruas até que Maduro renuncie, apesar de haver poucos sinais de que a pior onda de protestos no país em uma década irá forçá-lo a sair do cargo.

As manifestações têm variado de marchas pacíficas a confrontos violentos entre a polícia e manifestantes encapuzados atirando pedras e coquetéis molotov.

De acordo com números oficiais, os protestos deixaram até o momento um balanço oficial de 33 mortos, mais de 450 feridos e perto de dois mil detidos, dos quais 121 permanecem na prisão.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência