Por clarissa.sardenberg

Malásia - A operação internacional de busca do avião da Malaysia Airlines que desapareceu com 239 pessoas a bordo em 8 de março avistou nesta segunda-feira dois objetos no Oceano Índico que podem ser destroços do boeing 777. O ministro da Defesa e interino de Transporte da Malásia, Hishamudin Hussein, confirmou em entrevista coletiva em Penang, a cerca de 50 quilômetros de Kuala Lumpur, que um objeto é circular e o outro retangular. Hushamudin afirmou que os eles serão retirados da água para se analisar se pertenciam ao avião da Malaysia Airlines.

Uma aeronave de vigilância australiana P3 Orion localizou ambas as peças nesta tarde (hora local) a cerca de 2.500 quilômetros ao sudoeste de Perth, capital do Estado da Austrália Ocidental. O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, informou ao parlamento local sobre a descoberta, pediu cautela e explicou que se trata de um objeto circular de cor cinza ou verde e o outro retangular de cor laranja, segundo a emissora Sky News.

Diretor-geral da Malaysia Airlines e ministro malaio de Transportes em entrevista coletivaEfe

A Austrália ampliou nesta segunda a zona de busca no oceano Índico depois que um satélite francês forneceu novas imagens sobre objetos que poderiam ser da aeronave desaparecida.

O voo MH370 decolou de Kuala Lumpur com 239 pessoas a bordo rumo a Pequim na madrugada de 8 de março, e desapareceu dos radares civis da Malásia 40 minutos depois. O que se sabe é que o avião mudou de rumo e chegou à Península de Malaca. Estavam no voo 153 chineses, 50 malaios (12 compõem a tripulação), sete indonésios, seis australianos, cinco indianos, quatro franceses, três americanos, dois neozelandeses, dois ucranianos, dois canadenses, um russo, um holandês, um taiuanês e dois iranianos que embarcaram com passaportes roubados de um italiano e de um austríaco.

Você pode gostar