Homem de 86 anos mata noiva do neto a tiros em Nova York e se suicida

Heriberto Pagan atirou também na cabeça do próprio neto, que ficou gravemente ferido

Por O Dia

Nova York - Após uma discussão sobre um imóvel da família, um homem de 86 anos, morador de Nova York, atirou no próprio neto e na noiva deste, matando-a, e cometeu suicídio pouco depois, informa neste domingo o jornal "Daily News".

Michael Feliciano, neto do suposto assassino, Heriberto Pagan, relatou ao jornal o acontecimento direto do hospital onde está internado após ter sido baleado na noite de sexta-feira pelo próprio avô. Ele disse que voltava para casa após receber uma ligação de sua noiva, Claritle Huerta, avisando-o que seu avô estava no apartamento em que viviam e queria falar com ele.

"Abri a porta e tudo aconteceu", afirmou o homem, de 47 anos, que recebeu um disparo de revólver na cabeça. Pagan atirou também em Claritle, que morreu no local, e depois dirigiu seu veículo por vários quarteirões antes de abandoná-lo e se matar com um tiro. O octogenário foi encontrado em uma rua, com um disparo na cabeça e perto de seu carro, e foi levado ainda com vida a um hospital, onde faleceu no sábado.

Segundo o neto, seu avô queria que ele e a noiva deixassem a casa em que viviam junto com o filho do casal, de 4 meses, por acreditar que estavam se aproveitando do imóvel, que pertence à mãe de Feliciano. A mulher, de 69 anos e filha de Pagan, sofre de Alzheimer e tinha deixado os Estados Unidos para retornar a Porto Rico, segundo o "Daily News".

"Estavam manipulando minha mãe. (...) Diziam a ela que o correto era nos mandar para a rua", declarou Feliciano na entrevista ao jornal. O homem, que tem no histórico várias detenções relacionadas com uso de drogas, disse que seu avô não confiava que ele tinha deixado para trás esses problemas. Segundo vários vizinhos citados pelo jornal, as brigas entre avô e neto eram frequentes.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência