Por julia.sorella

Buenos Aires - Médicos argentinos conseguiram salvar a vida de um bebê cuja mãe, uma mulher de 32 anos, morreu espancada por seu marido quando estava grávida de oito meses, informaram nesta sexta-feira fontes policiais argentinas.

Os fatos ocorreram no domingo passado, na cidade de Lomas de Zamora, na província de Buenos Aires, quando parentes da vítima a encontraram em sua casa, desmaiada e com sinais de espancamento, que lhe provocou fortes traumatismos no crânio, indicaram fontes policiais a meios de comunicação locais. A mulher foi rapidamente transferida a um hospital onde os médicos lhe induziram o parto e conseguiram salvar o bebê, uma menina, que nasceu com boa saúde apesar de ser prematura, enquanto a mãe foi internada na unidade de terapia intensiva, onde morreu na segunda-feira.

Horas depois a polícia deteve o marido que, mesmo alegando inocência, foi indiciado por "homicídio agravado por feminicídio". Segundo os últimos números oferecidos pela ONG Casa del Encuentro, cerca de 300 mulheres foram assassinadas em 2013 na Argentina como consequência da violência de gênero, 16% mais que em 2012 e o número mais alto nos últimos seis anos.

Você pode gostar